Menino agredido em Lençóis Paulista sai da UTI

Por Carla Parezan 16/04/2018 - 10:16 hs
Foto: Imagem ilustrativa/Google

Na tarde deste domingo (15), o menino de seis anos agredido semana passada em Lençóis Paulista deixou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Estadual (HE) de Bauru, onde estava internado desde a noite da última terça-feira (10). Segundo a assessoria de imprensa do hospital, ele foi transferido para um leito clínico e o seu estado de saúde é considerado estável.

Conforme divulgado pelo JC, o menino, que é deficiente auditivo e fala com dificuldade, deu entrada na UPA de Lençóis Paulista na madrugada de terça-feira (10) com hematomas por todo o corpo e rosto e um corte na cabeça. O Conselho Tutelar foi acionado e, à noite, ele foi transferido para Bauru.

Boletim de ocorrência foi registrado para apurar as agressões. Em depoimento ao delegado Renzo Santi Barbin, a mãe da criança atribuiu a culpa pelos hematomas ao namorado, Wanderson Aparecido Marinho, 27 anos, e disse que o corte na cabeça foi motivado por uma queda do filho no banheiro.

A pedido do delegado, a Justiça decretou a prisão preventiva do suspeito, que foi detido na quarta-feira (11). Ele nega as acusações, diz que ficou cerca de 20 minutos com a criança e alega que a mulher teria lhe imputado a culpa porque ele se negava a manter um relacionamento estável com ela.

Barbin conta que chegou a representar pela prisão preventiva da mãe do menino, mas o pedido foi negado. Por decisão da Justiça, a criança está sob guarda provisória da avó materna. Na quinta-feira (12), exames realizados no HE constataram que o menino chegou a ter as costelas fraturadas.

O delegado informou que aguarda a ficha de atendimento clínico dele na UPA e o laudo do Instituto Médico Legal (IML) para saber a dimensão das lesões. Segundo ele, a tipificação do crime, inicialmente tratado como uma lesão corporal, poderá ser alterada para tortura ou até tentativa de homicídio.

Lilian Grasiela - jcnet.com.br